[Jogo] The Outfoxies

2012 - abr Postado por Bruno Colli Nenhum comentário

Desenvolvido pela Namco em 1994, The Outfoxies é um jogo de luta, lançado somente para Arcades, mas apresentou características bem pouco convencionais ao gênero. Desconhecido até mesmo por muitos jogadores fervorosos, Outfoxies merece seu devido reconhecimento e é por isso que decidi analisá-lo.

Nem todos os jogos de luta se importam com a história. Séries como King of Fighters e Tekken possuem bons enredos, mas centrados somente em alguns personagens, enquanto Virtua Fighter pouco se incomoda em apresentar ao menos um final para os personagens em seus jogos. Guilty Gear e BlazBlue, ambos da Arc System Works, deram um grande passo à frente e apresentaram enredos complexos que fizeram os jogadores se importarem com os personagens e seus destinos no decorrer das séries. The Outfoxies não possui um enredo mega complexo, mas apresenta todos seus personagens e suas motivações logo em sua abertura, deixando claro que nenhum deles é um herói; todos eles são assassinos profissionais, contratados pelo misterioso Mr. Acme para o assassinato de sete famosos colecionadores de arte. Estranhamente, todos os assassinos também foram contratados para eliminar os outros…

O jogo apresenta oito personagens jogáveis ao todo (e um final boss), sendo dois deles somente controlados juntos, e somente poucos deles podem ser considerados “comuns”: John Smith, um homem capaz de tudo por dinheiro, desde tarefas mais simples quanto arriscadas; Betty Doe, empresária que precisa levantar fundos para empreender seus negócios, que incluem assassinato por aluguel; Bernard White, bioengenheiro que perdeu sua mão num acidente e utiliza uma mão prostética de aço; Eve, ex-atriz de cinema que se tornou ladra e possui uma iguana de estimação, que a ajuda em seus roubos; Professor Ching, um cientista paraplégico que utiliza sua cadeira de rodas de tecnologia ultraavançada para lutar; Danny e Demi, as crianças gêmeas siamesas que foram separadas em um acidente quase fatal, mas cujas mentes pensam unilateralmente em matança; e Dweeb, um gorila que aceita bananas como pagamento para seus assassinatos (…?).

Mesmo tendo um enredo relativamente simples, Outfoxies surpreende por fugir do padrão dos jogos de luta, apresentando torneios de artes marciais envolvendo ditadores malignos, entidades sobrenaturais ou vinganças e rivalidades. Todos são assassinos, e embora alguns personagens como John Smith e Betty Doe sejam um pouco comuns, nunca vi nenhum outro jogo de luta onde é possível controlar um paraplégico ou um gorila assassino. Ninguém é um herói ou mesmo um vilão completo (exceto o final boss e os gêmeos Danny e Demi, que são absurdamente sádicos e meus personagens preferidos do jogo); todos eles são motivados por dinheiro, e como podem ser visto em seus respectivos finais, são perfeitamente possíveis de levarem vidas comuns enquanto não estão realizando seus “trabalhos”. São esses pequenos detalhes que nos fazem apegar aos personagens,

Os gráficos de Outfoxies são simples, mas bonitos e muito bem detalhados. Embora os personagens sejam bem característicos da era 16-bit dos jogos, sem muitas expressões faciais, os cenários são enormes e o jogo utiliza um zoom out para demonstrá-los inteiramente. Isso sem contar que praticamente todos os cenários possuem várias seções, que se abrem após algum tempo de luta. A trilha sonora, remetente a filmes noir e de ação dos anos 80, é muito bem composta e até ganhou um lançamento oficial em CD na época, algo surpreendente para um jogo relativamente obscuro.

Mas é a jogabilidade de Outfoxies que mais surpreende. Existem somente dois botões, ataque (que também serve para coletar armas) e pulo, mas são o suficiente para o controle do jogo. É possível movimentar seu personagem por todo o cenário, podendo utilizar todas as armas disponíveis no mesmo, que variam de barris a lança-mísseis, passando por carvão e uma cesta de frutas (!).

A interação com os objetos presentes no cenário é essencial para prosseguir no jogo e conseguir vencer todas as lutas. Isso sem contar que na última fase o gênero apresenta uma mudança, onde o personagem deve fugir de armadilhas e atravessar obstáculos antes de destruir o final boss.

Um jogo divertido, interessante e inovador (inspirou jogos como a série Super Smash Bros e o modo multiplayer de Star Wars: The Force Unleashed II), Outfoxies falha um pouco por ser muito curto e não ter tantos personagens. Uma sequência e um lançamento para consoles também seriam muito bem vindos; afinal, hoje em dia qualquer jogo pode ser lançado nas redes PSN e Xbox Live, e Outfoxies com certeza merece essa chance. E para quem está interessado em jogá-lo, é possível encontrar sua ROM facilmente na internet; é necessário utilizar o emulador MAME para rodá-lo.


Nada como ir à Disney e atear fogo no Mickey Mouse, não é mesmo?

AVALIAÇÃO: