Moonflux é um blog de cinema e arte criado por Pietro Milan e Bruno Colli. Nosso intuito é informar e facilitar o acesso a cultura para todos.

 

[Álbum] Ellie Goudling – Halcyon

2012 - nov Postado por Valmir 1

Em uma época marcada pela homogeneidade e pela superprodução em quase todos os setores culturais, alguns poucos projetos desse painel se desligam. Alguns justamente pela honestidade e originalidade de seu processo criativo ou por algum talento inegável que se sobreponha a qualquer mudança de teor no produto final. Ellie Goulding consegue aliar ambos aspectos com sua peculiar voz que torna suas letras, densas ou pop genéricas em certos momentos, algo verdadeiramente especial. Difícil descrever seu timbre, tom ou compartimentalização que os valha, mas a sensação que ela imprime às canções é sempre de algo ameno, quase pueril aqui, e um pouco mais obscuro ali, mas sempre com a afetação emocional pela melodia, pela inocência de uma criança ao lidar com um mundo que a circunda, alguém que lida pela primeira vez com algum término ou a esperança de tentar de novo.

 

[Álbum] Purity Ring – Shrines

2012 - out Postado por Valmir 0

Dreamy-freaky-dark synthpop. Melhor descrição não há para Shrines, o onírico debut do Purity Ring. “Cut open my sternum and pull my little ribs around you”, em Fineshrine, segunda faixa do álbum, já dá para ver casais mais afeitos a declarações histriônicas escrevendo essas palavras desse duo de Montreal para sua cara-metade. Com vocais doces de Megan James – não da mais fácil compreensão possível, o que acaba contribuindo para o efeito fugaz e etéreo do álbum -, envolvidos pela sonoridade densa e trabalhada de Corin Roddick e seus vocais intensamente processados, a capa enuncia a chillwavey atmosfera sedutora do grupo nessa estréia, realmente sugando o ouvinte com suas ânsias, medos e outras figuras obscuras.

 

[Álbum] Animal Collective – Centipede Hz

2012 - set Postado por Valmir 2

O post de hoje é a primeira matéria do novo colaborador Valmir Medeiros no blog. Bem vindo!


Centipede Hz foi o nome dado ao novo álbum do Animal Collective, banda que mistura experimental, psicodélico, freak, indie, noise-pop, folk, rock e mais alguns gêneros. Hz lê-se hertz, aquela unidade de medida de frequência que nos remete, felizmente ou não, aos tempos de colegial. Centipede faz referência àqueles artrópodes compridos e cheios de patas. Podem parecer irrelevantes essas minúcias do título aqui expostas antes da audição do álbum, mas ao final dos longos 55 minutos, a relação que criam faz questão de nos ocorrer. E essa nos é apresentada com a tão criticada capa.

 

[Música] Álbuns interessantes de 2012: Parte III

2012 - ago Postado por Bruno Colli 1

Como é costumeiro no blog, esperamos por alguns lançamentos musicais interessantes do ano, não contando aqueles que fizemos análises maiores em posts separados, para compilá-los em um único post, apresentando os que valem a pena e podem despertar curiosidade. Até agora, 2012 está indo bem em matéria de música.

 

[Álbum] Dead Can Dance – Anastasis

2012 - ago Postado por Pietro Milan 3

Dezesseis anos depois de Spiritchaser, álbum-epitáfio que marcou um percurso genuinamente étnico de uma banda única e inclassificável, Brendan Perry e Lisa Gerrard voltam a brilhar com o Dead Can Dance. É justo e espontâneo perguntar-se o que teria de novo para mostrar uma dupla cujo percurso parecia ser um círculo perfeito, ao ponto de não errar em nenhum disco, evoluindo lentamente de modo tão natural. Para responder a essa pergunta poderia ser suficiente o início de Amnesia, a voz de Perry, intacta e ainda mais profunda, exatamente como a recordávamos com seu álbum solo Ark.

 
12