Moonflux é um blog de cinema e arte criado por Pietro Milan e Bruno Colli. Nosso intuito é informar e facilitar o acesso a cultura para todos.

 

[Especial] Nová Vlna, Nouvelle Vague Tchecoslovaca

2014 - mar Postado por Bruno Colli 0

Movimentos cinematográficos sempre foram de importância vital para o desenvolvimento do cinema autoral e para consolidá-lo como arte. Do expressionismo alemão ao neorrealismo italiano, passando pelo kammerspielfilm e pela tradicional nouvelle vague francesa, cineastas sempre buscaram por novas formas de fazer cinema, inovando cada vez mais dentro de suas áreas, aperfeiçoando meros exercícios de estilo e tornando-os filmes completos, originais, longe de padrões convencionais, sempre inseridos dentro de um contexto próprio, mas jamais datados. O leste europeu, área tão desolada e ainda não descoberta por boa parte do ocidente, foi responsável por obras valiosas e respeitáveis do cinema desde seus primórdios. Países como Polônia, Hungria, Iugoslávia e todos os terrenos que formavam ou eram dominados pela União Soviética (Rússia, Ucrânia, Letônia, Lituânia, Estônia etc), tais como os países do Cáucaso, nunca deveram nada aos vizinhos ocidentais quando se trata de experiência cinematográfica. No entanto, esses países sofreram por anos nas mãos de governos opressores, ditatoriais, onde a liberdade de expressão era quase inexistente, e os opositores das autoridades eram imediatamente punidos com tortura, prisão, exílio permanente ou morte. Como uma afronta e um ato de repúdio, músicos, diretores, poetas, escritores e artistas em geral começaram a unir-se para expressar suas ideias através da arte. Dessa forma, cada um desses países obteve suas formas de se expressar e lutarem contra a opressão. A Tchecoslováquia foi um destes.

 

[Filme] Zazie no Metrô (1960)

2014 - jan Postado por Bruno Colli 1

- Suba e deixe de ser metida.
- Metida o caralho!

Ainda que tivesse somente dois filmes em seu currículo, Louis Malle já havia estabelecido uma carreira respeitável como cineasta. Seus filmes anteriores, Ascensor Para o Cadafalso (Ascenseur pour l’échafaud) e Os Amantes (Les Amants) foram sucessos de crítica e público; o primeiro contou com a presença do lendário jazzista Miles Davis na trilha sonora, enquanto o segundo, baseado na obra Point de Lendemain, de Dominique Vivant, causou controvérsia em seu lançamento nos Estados Unidos, onde quase foi considerado pornográfico. Seu terceiro filme, Zazie no Metrô (Zazie dans le Métro), também é uma adaptação literária, mais precisamente da obra homônima de Raymond Queneau; o livro, repleto de humor sagaz, trocadilhos, neologismo, brincadeiras com a linguagem, momentos nonsense e repleto de crítica/sátira social, é uma das obras mais aclamadas do escritor, que também ganhou adaptações para o teatro e até para histórias em quadrinhos.

 

[Filme] Armadilha do Diabo (1962)

2013 - nov Postado por Bruno Colli 0

Considerado um dos pais do movimento Nová Vlna, a nouvelle vague tcheca, Frantisék Vlácil (cujo cinema já recebeu um especial aqui) possuía uma visão muito única de cinema e demonstrava isso logo em seus trabalhos iniciais. Após uma série de curtas e um longa metragem de estreia, Holubice (Pomba Branca), envolvendo a inocência e a beleza da infância, Vlácil explorou temáticas distintas, mais realistas e críticas, como um prelúdio para o movimento que ainda estava por vir. Armadilha do Diabo (Armadilha do Diabo), segundo longa de Vlácil, que posteriormente fora incluído numa trilogia também composta por Marketá Lazarová e Udoli vcel (O Vale das Abelhas), baseado na obra literária homônima de Jirí Šolc, apresentou diversos elementos que tornariam-se recorrentes não só nos filmes de Vlácil, mas em todo o movimento: crítica religiosa, ambientação medieval / ruralista e personagens cruéis e injustos que servem como metáfora para o governo opressor de seu país.

 

[Filme] Um Dia, Um Gato (1963)

2013 - nov Postado por Bruno Colli 0

O cineasta Vojtech Jasný iniciou sua carreira cinematográfica nos anos 50, onde tornou-se reconhecido por seu clássico Touha (Desejo), drama que concorreu no Festival de Cannes de 1959. Dividido em quatro segmentos, esta poética obra refletia sobre o quanto a vida pode ser tão curta, mesmo que tantos anos tenham se passado. Aclamado em sua terra natal, Jasný ganhou maior notoriedade na década seguinte, durante os anos dourados da Nová Vlna, a new wave tchecoslovaca. Um de seus trabalhos mais marcantes desta época é Um Dia, Um Gato (Az prijde kocour), de 1963, um dos pontos chave do movimento.

 

[Filme] Viagem a Citera (1984)

2013 - out Postado por Bruno Colli 1

Viagem a Citera (Taxidi sta Kythira) é a primeira parte da Trilogia do Silêncio de Theo Angelopoulos, que também inclui O Melissokomos (O Apicultor) e Topio stin Omichli (Paisagem na Neblina). Evocando sentimentos isolados, abafados e guardados dentro de cada ser humano, a trilogia ajudou a consagrar Angelopoulos como um dos cineastas contemporâneos mais importantes de sua era.